22 março 2014

Derrapando

Malheiro esfregou os olhos e coçou o nariz. Detestava quando a lata velha acelerava pela prateleira apertada, levantando uma nuvem de pó.
– Para lá com isso – refilou o urso, ansiando voltar para o baú. Era escuro, mas ao menos podia dormir sossegado.
O carro desafiou-o, chiando os pneus, esquecendo-se que estavam carecas.
– Aiiiiiiiiii – gritou ao derrapar, ficando pendurado por uma roda. – Ajuda-me. Não vez que estou quase a cair?
– Se pedires com jeitinho…
– Por favor! Por favor!

Quita Miguel, 54 anos, Cascais
Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam


Sem comentários:

Enviar um comentário