23 fevereiro 2014

Holocausto

Diz o escritor que a estrada para Auschwitz foi construída pelo ódio e pavimentada pela indiferença. Pela indiferença de dois povos e de uma geração de intelectuais alemães, que se limitaram a olhar para o lado perante a purga nazi a alvos bem definidos após a sua chegada ao poder, e que dizimada foi por Martin Niemöller num seu poema. O final desse sinistro caminho tem um nome próprio. Holocausto. O apelido ficou preso no arame farpado.

Miguel Melo, 54 anos, Lisboa

Desafio nº 60 – apelido preso no arame farpado (frase obrigatória)

2 comentários: