21 fevereiro 2014

Despojada de tudo

Durante tanto tempo fui apenas nome e não ser. Vivi à sombra de ser nomeada, chamada, requisitada. Vim vazia de tudo o que podia ter sido. Não se via para além das palavras de um cartão de plástico que ditava a minha vida. Não se via para além do número que me qualificava numa imensa lista. Fugi dessa identidade para poder viver inteira. O apelido ficou preso no arame farpado. Vim despojada de tudo, menos de mim.

Alexandra Rafael, 35 anos, Albufeira   

Desafio nº 60 – apelido preso no arame farpado (frase obrigatória)

Sem comentários:

Enviar um comentário