23 fevereiro 2014

Alforria Sonegada

Antes assim fosse: como pontes que tudo levam, tudo trazem, onde do outro lado as brumas se dissipam.
Antes assim fosse: como as pontes que têm abraçados às grades os cadeados do amor, cujo selo desenha o fundo dos rios.
Mas não. A linha impura, álgido equador a separar vidas, nega travessias.
Ele ousou saltar e, o apelido ficou preso no arame farpado, gritando ao mundo e aos deuses que a vida só ao seu dono pertence.

Elisabeth Oliveira Janeiro, 69 anos, Lisboa

Desafio nº 60 – apelido preso no arame farpado (frase obrigatória)

Sem comentários:

Enviar um comentário