22 fevereiro 2014

A história repete-se

Entrou e lançando um olhar circundante aproximou-se da mesa do fundo, despiu o casaco e sentou-se. Sem palavras, o empregado trouxe um café. Segurou a chávena e bebeu de um gole só. Abriu o jornal e durante uma hora não levantou os olhos. Apenas o movimento de virar as folhas. Quando terminou dobrou-o cuidadosamente deixando a primeira página voltada para cima, onde se lia: Cavaleiro teutónico sobrevive ao holocausto.
Pensou: O apelido ficou preso no arame farpado!

Alda Gonçalves, 46 anos, Porto

Desafio nº 60 – apelido preso no arame farpado (frase obrigatória)

Sem comentários:

Enviar um comentário