03 dezembro 2013

Uma questão de limpeza

O procedimento fora alterado; os serviços camarários tinham alertado para as poções a aplicar nos canais de escoamento da praça, mas surgiram opções.
– Só eu decido como limpar a banca, pois a isto dedico muito tempo.
– Não traves as minhas escolhas; não vertas tanta água, rapariga!
– Oh vida, coitada, julga-se diva...
– Não sou servil; livres não são só os pássaros!
– Ai, que o teu Santo não está aqui entronado e não falta muito esteja o caldo entornado.

Elisabeth Oliveira Janeiro, 69 anos, Lisboa

Desafio nº 56 – usar 14 anagramas insólitos e divertidos

Sem comentários:

Enviar um comentário