18 dezembro 2013

Com cheiro a musgo

A humidade frisava-lhe o cabelo. Mofava-lhe o tecto da casa. Gosta de alturas. Instala-se em cabelos e tectos com o mesmo êxtase e desalinho, frisando uns, pontuando anarquicamente os outros de negro.
Empresta ao ar um cheiro a musgo. Cheiram a musgo os cabelos frisados?... Se ao menos encontrasse a chave do cacifo onde guardava lixívia com que exterminaria fungos no tecto e aquele amaciador
fantástico que amansaria a rebeldia dos cabelos como lhe prometiam na televisão.

Rosário Caeiro, 39 anos, Lisboa
Desafio RS nº 8 – juntar cacifo, cheiro a humidade e êxtase

Sem comentários:

Enviar um comentário