12 dezembro 2013

A liberdade

Abri a porta com cuidado, entrei devagar no passado sombrio e com cheiro a humidade das recordações que não queria mais.
Avancei até ao fim e ali estava ele a desfazer-se em ferrugem, peguei na chave do cacifo e abri-o. Já não restava muita coisa, trouxe as memórias guardadas e encaminhei-me para a saída.
Cá fora, libertei-as ao vento da esperança e vi-as voar sem rumo. Em êxtase, vi, ao meu lado, a liberdade que me sorria!

Maria de Fátima, 44 anos, Coimbra

Desafio RS nº 8 – juntar cacifo, cheiro a humidade e êxtase

Sem comentários:

Enviar um comentário