09 dezembro 2013

A escorregadela

Isto não corria nada bem! Com o máximo de arrogância, tentei explicar mas veio até mim como uma brisa em pleno verão. Apanhando-me de surpresa. Qual juiz, ditou a escorregadela. Sem dar espaço a nada, sem fazer uma exclamação sequer! Estava no meu limite de impaciência.
Eu que só queria pouco barulho, via-me a braços com este favorecimento... Aqueles olhos fitaram-me, de repente. Senti frio, um claridade envolveu-me. Voltei-lhe costas, deixando-a a falar sozinha, temendo deixar-me envolver.

Carla Silva, 39 anos, Barbacena, Elvas

Desafio nº 55 – reescrevendo um texto com contrários

Sem comentários:

Enviar um comentário