20 outubro 2013

Tempestade

A escuridão daquele dia rasgava-nos a alma. Sombrio, desconsolador, de um imenso breu. As nuvens fendiam pesadas, enormes, fazendo desvidrar o brilho  de Lisboa. Também o rio colérico, ia desferindo dilacerantes golpes, vagueados no cais. Irrefutavelmente, a tempestade debatia-se sobre a cidade, não sendo de estranhar, que se encontrasse agora vazia. Só eu, ali, como um intruso, assistindo a um conflito de Titãs em que Poseidon, Úrano e Pérsefone eram protagonistas, atento ao momento heróico de redição.

Graça Pinto, 55 anos, Almada

Desafio Rádio Sim nº 6 – palavras tiradas à sorte do dicionário

Sem comentários:

Enviar um comentário