30 outubro 2013

Ouço-a

Ouço-a,
Essa que me enche de sentimento.
Vem pelo ar, propaga-se
Temerária
Doce
A voz que se enrosca
Nos meus sentidos
Faz-me querer
(se nem sei bem o quê)
Flores, segredos murmurados
Mãos, abraços
Ouço a voz
(serei louca?)
Tentando-me,
Seduzindo os muros
As portas, os cadeados
Seduzindo o que se abre
Alegremente
Para a deixar entrar
É um turbilhão
A ventania da tempestade
Donde vens tu, voz?
E porque me contas
De amor e de saudade?

Alexandra Rafael, 35 anos, Albufeira 
(história sem desafio)    

Sem comentários:

Enviar um comentário