25 outubro 2013

O gato e o cordel

A menina esperava atentamente que o gato se aproximasse da bola de papel. Debruçada no parapeito da janela segurava com firmeza na ponta do cordel que a tia-avó atara.
O gato aproximava-se devagar, levantava a pata a querer tocar, brincar, mas a bola afastava-se.  

– Não tires os joelhos de cima do banco. O cordel é comprido o suficiente. Mexe o cordel para junto do gato.
Eram, e são, tardes  assim, as que me lembram a tia Berta!

Teresa Silva Isabel
, 65 anos, Caldas da Rainha
(história sem desafio)

Sem comentários:

Enviar um comentário