25 maio 2013

VÃOS JUÍZOS

Dantes os teus olhos foram mar, onde lágrimas feitas ondas agitadas e revoltas marcaram de sal, em sulcos o teu rosto.
Hoje teus olhos não são mais mar, em que se debateram tempestades.
Hoje calam soluços arrebatados, recordam ténues vagas esperanças… meu longínquo porto de abrigo…
Teus olhos hoje feitos de lago nos quais derramei gotas de pranto, aquietaram-se, serenos, vencidos no turbilhão da vida…
Teus olhos hoje perdidos, cansaram-se apenas de procurar o porquê das coisas…

Graça Pinto, 54 anos, Almada

Sem comentários:

Enviar um comentário