25 maio 2013

Lágrima


Ao longo dos anos tinha-se habituado a visitá-los. A doença mental da tia obrigava o tio a ficar em casa, preso aos medos da mulher. Idosos, mas apaixonados como dois adolescentes, passavam os dias entre quatro paredes. Ela centrada em si própria e ele à espera de uma visita que o ajudasse a passar os dias.
Até que um AVC levou-o à demência. Onde estava o tio contador de histórias? Uma lágrima, triste gota, correu-lhe pelo rosto…

Margarida Leite, 44 anos, Cucujães

Sem comentários:

Enviar um comentário