13 maio 2013

Dias de Sol


Nos dias de sol, sentava-se no banco do jardim com o pequeno transístor no colo. Com as mãos trémulas, sintonizava as ondas de FM orientando a antena do rádio na melhor direcção.
Depois firmava o aparelho para que a frequência não se perdesse no ar, levando-lhe as radiofónicas vozes risonhas que tal como o sol lhe confortavam a solidão.
– Bom dia, Sr. Zé – saudavam os vizinhos que por ele passavam apressados.
– Bom dia – respondia ele sem pressa.

Paulo Roma, 50 anos, Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário