24 maio 2013

Avó


O sol do deserto. O rádio a olhar para mim. Vento. Começa a tocar. Não ouço. Aproximo-me, lentamente. Inclino-me. Continuo a não ouvir. Fecho os olhos. Torna-se nítido. O Sr Contente e o Sr Feliz… A novela. A minha avó de mãos macias, riso de menina, a ouvir sempre. Atenta. Pontual.
No teu ninho ouvia-mos. De mãos dadas. Quentinho. Adormecia.
Devíamos suspender o tempo. Pausa. Oiço-te aqui?
Caio de joelhos, voam pequenos grãos, lembranças: Que saudades avó!

Catarina Peças, 42 anos, Lisboa

Sem comentários:

Enviar um comentário