23 março 2013

Todas as palavras


Pensava que tinha comigo todas as palavras. E aPEnas por alguns instantes marAVilhosos, AQui me persuadi de qUE os meus midos pensamentos gaNHariam as asas que sempre me ACompanharam na terra dos sonhos. O tOM de orgulho que consIGo relembrar quando cOTejo as memórias dessas ODes perdidas deixa-me agora horrorizada! QuantAS lágrimAS de vergonha desses PAlanques inesperados! Em plena QuaresmaLAvo estas mãos de Herodes, laVRando a sentença de Cristo nAS últimas horas, que são também minhas!

Madalena Tavares, 43 anos, Vale do Paraíso (concelho de Azambuja, Lisboa)

Sem comentários:

Enviar um comentário