06 março 2013

Renascer


Fingiu-se nova como se o tempo não a tivesse visitado, como se tivesse nascido todos os dias. Tinha, dentro de si, um cansaço dolente, mas gritava uma força ao mundo capaz de mover montanhas; a dor era voz que escondia, pois encrespava-lhe o caminho.
Nem mesmo quando lhe diziam que já não morava ali, ela desistia de procurar abrigo naquela rua: alguma pedra daria jardim.
Felicidade, é preciso acreditarmos que o teu nome renasça para nos inflamar.

Bau Pires, 50 anos, Porto

"Para acreditarmos que tinha nascido nova." tirada do fim do conto "Amargura para 3 sonâmbulos"– Gabriel Garcia Marquez, Contos Completos, da D. Quixote.

2 comentários: