27 fevereiro 2013

Tinha fugido do céu


De todos os cantos do mundo, trouxe aquilo que me pertencia. Procurei e cravei na alma as memórias de uma vida. O cheiro, o mar salgado, a procura pela liberdade, os pés descalços na areia quente. Perdi-me nessa vontade insaciável de ir mais além, mais longe de mim mesma. Sobrava o mundo, e dele, queria tudo. A luz, o medo, a cor, o frio da brisa de quem vive livre. Tudo o que tinha fugido do céu.

De todos os cantos do mundo – Mar, Sophia de Mello Breyner Andresen
Tinha fugido do céu – Num meio-dia de fim de primavera, Alberto Caeiro

Inês Costa, 19 anos, Portugal

Sem comentários:

Enviar um comentário