28 fevereiro 2013

Dilema


Para seres grande, sê inteiro, rematou com autoridade.
Tinha a cabeça ligeiramente levantada, olhos fixos no horizonte.
– Isso é muito bonito, mas todas as ajudas são poucas lá em casa! Tempos difíceis...
… Combinamos dividir as gorjetas ao fim do dia, mas caramba! nós sacamos mais que elas todas juntas!...  façam pela vida!
– Choninhas, nem dão por nada!!
– Ensinamo-las a falar! A serem simpáticas, a desapertarem mais a blusa… sei lá!
– Sei que não vou por aí!

Luís Marrana, 52, Oliveira do Douro

Para seres grande, sê inteiro – Fernando Pessoa - Odes de Ricardo Reis
Sei que não vou por aí! – José Régio - Cântico Negro


Sem comentários:

Enviar um comentário