20 fevereiro 2013

Comunicação


A poesia é incomunicável, por isso ela escrevia prosa.
Contava histórias alegres, usando sempre palavras simples, para que todos a compreendessem.
Os críticos apontavam o vocabulário pobre, a narrativa prosaica, a psicologia rudimentar.
Mas ela não se ralava. Pelo menos, comunicava.
E ninguém lhe tirava o gozo de tornar as pessoas – aquelas comuns, como as suas personagens – felizes.
E sábias, como crianças.
Afinal, toda a gente sabe que a sabedoria da criança é não saber que morre.

Rita Bertrand, Lisboa, 40 anos

Versos: “A poesia é incomunicável”, de Carlos Drummond de Andrade, in “Segredo” e “a sabedoria da criança é não saber que morre”, de Ruy Belo, in “Algumas Proposições sobre Crianças”

Sem comentários:

Enviar um comentário