26 setembro 2012

Um fogo...


Quem dera voltar atrás no tempo. Menos 10 anos bastavam. Agora é tarde! Abandonei-me à doença; com isso descurei a nossa relação. Foi desmoronando, lenta e subtilmente; até não restar nada do sentimento de outrora. Hoje, apercebo-me: fui estúpida. Perdi-te! Quando me disseste adeus, depois da estranheza a lucidez. Esqueci-me de ti, absorvida e obcecada na minha dor.

Agora, arde em mim, como uma ferida aberta, a tua ausência. Arde queimando-me o corpo, toda a minha alma.

Isabel Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário