25 setembro 2012

Do outro lado do espelho



Alice correu, abriu a porta, aproximou-se da mesa redonda de vidro e quando se inclinava para comer o bombom, olhou rasando o ombro e para seu espanto esperava-a silenciosamente a tropa de sua majestade a rainha do trapo. Assustada deixou cair o prato, ao mesmo tempo que levou as mãos à cabeça antecipando estardalhaço.
- Não, não parto, não parto!
Tanto desejou que o prato não partiu. Não partiu, mas Alice partiu para o outro lado do espelho.


Catarina Confraria Peças, 42 anos, Lisboa

2 comentários: