23 setembro 2012

Cuidado com esta conspiração!



pergunta bailava nos meus lábios. Precisava conhecer a realidade da situação. Não lhe podia perguntar directamente. Talvez vivesse mais feliz na ignorância, como se o véu do desconhecimento fosse o meu purgante para a culpa. Quando a olhei nos olhos soube a resposta. Era o fim. Passei a mão pelas flores em forma de campainha. A dedaleira do jardim tinha encontrado o seu uso...a morte! Ninguém iria desconfiar da nossa conspiração. Finalmente a fortuna seria minha!

Alexandra Rafael

Sem comentários:

Enviar um comentário