05 setembro 2012

Amor/Roma


Quem ama a vida ama tudo o que dela pode tirar. João não conseguiu ultrapassar o desgosto de perder o amor da sua vida e agora passa o tempo no vazio dos encontros fortuitos de uma noite bem regada e bem (mal) passada. Quem ama a vida não a desperdiça em pequenos-almoços com estranhos. Maria tem esperança que o João consiga dar a volta, mas acha que ele não ama a vida desde aquele dia em Roma.

Mariana Santo, Lisboa, 25 anos

Sem comentários:

Enviar um comentário