01 setembro 2012

Aroma/amora

O irresistível aroma da tarte de amora

Da janela entreaberta, desprendia-se um aroma irresistível. Pedro e Afonso largaram a bola e aproximaram-se, sorrateiros, do quintal da vizinha. Mal os pressentiu, o anafado gato amarelo bufou e esgueirou-se para cima de uma árvore.
Parados debaixo do parapeito, puseram-se à escuta, até se certificarem de que não havia ninguém na casa. Pedro ajoelhou-se, Afonso subiu e lançou a mão à bela tarte de amora. De repente, sentiu que alguém o puxava para dentro. Tinha sido apanhado!

Carlos Alberto Silva
Publicada também em Ficções Breves
http://ficcoesbreves.blogspot.pt/2012/09/o-irresistivel-aroma-da-tarte-de-amora.html

Sem comentários:

Enviar um comentário