02 maio 2012

Portei-me mal, pois foi...

Ninguém refilou, mas deviam tê-lo feito. Então ponho-vos a escrever e não faço nada?!
Vamos lá então...

Desafio nº 1

A última coisa que queria era que estivessem ali. Estava cansada de olhares que disfarçavam mal o incómodo de a verem assim. Também se cansara das frases feitas, que eram atiradas na sua direcção: Tens de ter força! Faz lá um sorriso…!
Fogo! Saberiam por acaso o que se passava dentro de si? Farta de tudo, queria que um ponto final calasse as vozes e afastasse os olhares. Soltou-se. Passou a ser uma pena, abraçada ao vento.

Desafio nº 2
Era uma história triste, a sua. Não tinha início nem fim, apenas uma sucessão de acontecimentos que não lhe permitiam ser um conto, nem mesmo uma novela, não era nada. Chamavam-lhe esboço muitas vezes, mas nunca se importou com isso. Mesmo quando quis, levada por ideias alheias, ser uma crónica, sempre soube que era impossível. Dizem que casou com um conflito fora de prazo, e que hoje habitam juntos um livro de memórias. Será verdade? Possível?! Talvez…

Margarida Fonseca Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário