30 maio 2012

Da génese das palavras


De dia, viam-se pouco...
Insistentemente as procurei, com método, com perseverança, com truques...
Mas não dava... não valia o esforço!
Era a luz forte do sol lá fora a chamar por mim. Uma corrida na praia, um passeio de bicicleta ou… ter de trabalhar!
Era ao regressar à tardinha que elas surgiam, primeiro uma, depois outra ainda a medo até que com o cair da noite as palavras formavam-se no papel aos magotes em turbilhão...
Quem diria...!

Luís Marrana, 52 anos, Vila Nova de Gaia


Sem comentários:

Enviar um comentário