15 maio 2012

desafio nº 4 - já há mais histórias!


Sou um bule rachado, sou alto e esguio. Por alguma razão especial colocaram-me em cima de uma mesa ao lado de copos de cristal, jarros com sumos e pratos recheados de bolos de vários sabores. Limão, laranja, morango vão se confundir com os chás de menta, frutos do bosque e outros. Dentro de mim sai uma deliciosa fragrância a maçã e canela. Daqui a pouco serei esvaziado para as chávenas e também acompanharei o recital de poesia.
Maria Jorge

Sou um bule rachado, sou! Mas não diminuído nem inútil. Como já não tenho o prazer de receber a água fervente, que a minha finíssima porcelana deixa verter, tornei-me um contador de estórias.
Sempre que novas folhas de chá mergulhavam em mim e se abriam em flor, lá vinha uma estória. Tantas ouvi. Da China, Ceilão, Índia, Japão. Ri, chorei, arrepiei-me, comovi-me. Todas cá ficaram. Agora, encanto com elas os visitantes deste museu, o meu novo lar.
Ana Paula Oliveira

E que tal ver o que a Chica publicou no seu blogue?

Sou um bule rachado, sou um bule orgulhoso!
Foram muitos anos a servir.
Servi chá a rainhas e princesas
Duques e duquesas
Camomila, tília, limão…
Toda e qualquer infusão!
Orgulho, é o que sinto
Fiz um trabalho bem feito.
E agora? Rachado descanso,
Lembrando o passado perfeito.
Não sinto mágoa, saudade,
Nem sequer tristeza…
Já passou o meu tempo
De estar sobre uma mesa.
Dou a vez a outro, pois afinal
Saio de cena rachado,
Mas triunfal!
Sandra Lopes

Sem comentários:

Enviar um comentário