05 maio 2012

Abril 2012 - avós e netos

Chico permanecia escondido. Espiava tudo pelo espacinho que existia entre as franjas da colcha e o chão. Os passos pesados continuavam muito irrequietos. Quanto faltaria para começar a sesta?! Começava a aborrecer-se…
Um fechar de porta deixou-o desconfiado – o avô não ia dormir?! Pior – deixara-o ali fechado?!...
Rápido, saiu do esconderijo. Quando levantou os olhos, lá estava ele, brincalhão, de pés levantados, sentado na cadeira, para lhe fazer o maior ataque de cócegas de que havia memória…
histórias - Margarida Fonseca Santos; ilustrações - Francisca Torres

Sem comentários:

Enviar um comentário